quarta-feira, 28 de maio de 2008

Porque preservar a Amazônia

Da necessidade de preservação da Floresta Amazônica não é preciso muitos argumento para se mostrar o quanto é importante defender esta causa.

É a maior floresta tropical úmida do mundo, ocupa a maior extensão do território amazônico. A hiléia amazônica (como a definiu Alexander von Humboldt) possui a aparência, vista de cima, de uma camada contínua de copas, situadas a aproximadamente 50 metros do solo.

A temperatura média anual é sempre em torno de 20º C, a pluviosidade anual aproximadamente de 1200 mm, sua localização média é na faixa entre os trópicos, daí a denominação de floresta tropical.

Este biosistema abriga 15% de todas as espécies de plantas e animais conhecidas no planeta, apesar do solo ser muito pobre. Apesar dos números superlativos, calcula-se que apenas um décimo da biodiversidade da região tenha sido estudado.

O motivo é que a maioria das coletas que buscam novas espécies se concentra nas regiões próximas aos centros urbanos e às margens dos rios. Não se sabe ao certo em que medida o desaparecimento desse extraordinário bioma afetaria o aquecimento global.

Estudos recentes mostram que as florestas tropicais ajudam a estabilizar o clima por absorver o dióxido de carbono da atmosfera (CO2). Acredita-se que o excesso de dióxido de carbono na atmosfera contribui para as mudanças climáticas através do aquecimento global. Portanto, as florestas tropicais têm um importante papel em minimizar o aquecimento global.

As florestas tropicais também afetam as condições de clima por influir na precipitação e moderar a temperatura.

As florestas tropicais úmidas ajudam a manter o ciclo d’agua. De acordo com o Levantamento Geológico dos Estados Unidos que diz que “o ciclo d’agua, também conhecido como ciclo hidrológico, descreve o movimento contínuo da água na, acima e abaixo da superfície da Terra.”.

O papel das florestas tropicais úmidas no ciclo hidrológico é adicionar água à atmosfera através do processo da transpiração (quando ocorre a liberação de água a partir das folhas das plantas durante o processo da fotossíntese). Esta umidade contribui à formação de nuvens carregadas que libera posteriormente a água de volta para a floresta, formando assim o ciclo da água. Na Amazônia, 50-80% da umidade permanece dentro do próprio ciclo da água.

Quando as florestas são cortadas, menos umidade vai para a atmosfera e a precipitação declina e algumas vezes levam à seca.

O sumiço da floresta alteraria a precipitação das chuvas em várias regiões do globo, entre elas a Bacia do Prata, a Califórnia, o sul dos Estados Unidos, o México e o Oriente Médio, causando perturbações imprevisíveis à agricultura dessas regiões.

No Brasil não seria diferente. Por meio da evaporação, a Amazônia produz um volume de vapor d’água que responde pela formação de 60% da chuva que cai sobre as regiões Norte, Centro-Oeste, Sudeste e Sul do Brasil. A diminuição da chuva teria um impacto direto sobre a produtividade agrícola em estados como Mato Grosso, Goiás e São Paulo. Os rios que abastecem o reservatório da Hidrelétrica de Itaipu teriam sua vazão sensivelmente diminuída, causando um colapso energético no país.

As raízes das árvores da floresta tropical e a vegetação, como um todo, ajudam a protegem o solo. Quando as árvores são cortadas não há mais nada para proteger o chão e os solos são rapidamente lavados com a chuva, provocando erosão.

  1. Porque preservar a Amazônia
  2. Grau de Desmatamento
  3. Ocupação do solo
  4. A legislação florestal
  5. Ocupação predatória
  6. Propostas para o futuro
  7. Devastação em numeros
  8. Matérias sobre a Amazônia

4 comentários:

tammi' disse...

QUEM FOI O IDIOTA QUE ESCREVEU ISTO , ELE NÃO TEM A NOÇÃO DO QUANTO A AMAZONIA É IMPORTANTE PARA NÓS , ELE É UM IDIOTA SEM CULTURA _|_

Natalia disse...

esse é um texto muito maneiro!!!!!

Errazon ^^ disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Zara Tustra disse...

Podi crê manu